28 julho 2014

Frio

Uma janela. A chuva e a calma que o fim de tarde de dias como esse traz. Eu, sentada olhando através do vidro, através do que muitos ignoram por causa da correria.
O cheiro do café misturando o ambiente, construindo um fervor em mim. Dentro para fora... De dentro para fora.  E com as mãos frias, segurei a xícara. E me assegurei de que ali, admirando as gotas da chuva nas folhas encontraria um pouco de paz, um conforto e  solução para o stress.
Meias. Lã sobre minha pele. Som. John Mayer ao tocar. E minha alma despertando, se libertando da correria e se acolhendo na rotina que é a busca pela simples t.r.a.n.q.u.i.l.i.d.a.d.e!

Um comentário:

  1. Talvez a sensação mais doce do mundo, individualmente, seja o equilíbrio tão absoluto entre o mundo fora de nós e o mundo interior, que esses dois mundos estejam separados única e exclusivamente por nossa pele. Paz lá e paz aqui, e apenas nossa pele no meio. Beijossssssss

    ResponderExcluir