07 setembro 2015

Há uma promessa para aqueles que esperam

  Só quero  pensar que existe. Que as respostas existem... Não me irritar com o otimismo alheio. Quero entender o por que da existência de obstáculos e feridas que parecem nunca cicatrizar. Li uma vez em um livro bem clichê de adolescente que a dor tem que ser sentida, e no mesmo momento pensei: Que droga é essa?
  As pessoas passam a vida fugindo da dor, fugindo dos próprios medos e sentimentos... Idealizar alguém tão idiotamente bem resolvido  me deixou ainda mais irritada. Quando se sente dor tudo o que se quer é uma cura, no momento que se quer fugir tudo que se quer é um caminho diferente.
   E no fim, tudo o que se realmente deseja é esperança, um amanhã diferente. Tudo o que se quer é esquecer que o coração está quebrado e pensar que a noite não pode durar tanto. Na realidade só se quer uma maneira de adiantar o tempo, de descobrir os porquês... Cruzar os dedos para o sol nascer logo.

Estou apenas divagando.

3 comentários:

  1. Desenvolvi o seguinte pensamento: nos extremos das coisas existem sorvedouros! Se chegamos perigosamente perto dos extremos, somos sugados, perdemos o poder de decidir, de pensar, de racionalizar. Perto do centro, as águas são tranquilas, temos tempo, espaçi e pensamentos, e é por aí que devemos seguir na vida. Sentir a dor é um extremo masoquista de péssimo gosto; mas fugir da dor em vez de enfrentar corajosamente o que a causa é outro extremo de onde nada de bom pode vir. A dor é um reflexo. Enfrenta-la é loucura. A razão dela é o adversário a ser batido. Beijossssssss pequena

    ResponderExcluir