06 maio 2016

Ela irá se casar

Sim! Está marcado, agendado, programado. Ela irá se casar e será logo. Faltam... 28 dias.
Que irão passar rapidamente devido a correria e a ansiedade. Será lindo, será mágico. Por que ela nunca havia sonhado em se casar, não antes de conhece-lo. Ela se imaginava sozinha. Mas ele mudou tudo. Ela mudou ele e ela a mudou e fizeram  duas peças separadas tomarem forma, se juntar, virar uma só.
Então ela promete ser abrigo nos dias frios, calmaria nos dias turbulentos, e colo  nos dias tristes. Ela promete ser fiel, a não olhar para trás, a perdoar em nome do amor. Promete superar, aprender e ensinar. Ela promete ser dele e de mais ninguém e fazer do seu abraço o seu lar.
E então finalmente eles irão se casar, formar um lar, fazer de duas vidas uma história, algo para eternamente se guardar.

28 janeiro 2016

Ela

  Ela não era boa para se expressar. Vivia levando palavras na mala, por que nunca eram bem interpretadas mesmo. Será a intonação de sua voz? Será a vontade ardente de ser entendida que atrapalhava?
  Tentar provar que estava certa nunca a ajudou em literalmente nada, e mesmo assim insistia em tentar expor o que por dentro nem ela sabia definir, explicar. Eram palavras, pensamentos demais para organizar em frases.
  Das mil faces que alguém pode ter, a que mais colocava era a de implacável. Aquela que sabe o que quer, aquela máscara que tem escrito em caixa alta " SOU EU MESMA E NÃO VOU MUDAR PARA AGRADAR", mas na real não era nada disso. Sempre tentando se adequar, se alinhar na direção do que lhe parecia certo fazer, e não mesmo( nem sequer por um segundo) seguir a voz na sua cabeça que lhe dizia o oposto. 
  Com o tempo percebeu que as frases que ouvia não eram o que realmente significavam... " Seja você mesma!" era na real " Seja o que eu quero que você seja", "Você é especial" estava mais para " Sou eu que te torno especial". E por assim em diante.
  A dor não era sentida, o amor era inventado e os dias suportáveis. E então depois de muito ferir e ser ferida, de tanto procurar entender os outros e desconhecer a si mesma ela finalmente se olhou no espelho e percebeu, que não adiantava se aprofundar no outro e no que o outro desejava se não compreendia as profundezas do que era ser ela.

08 janeiro 2016

O pior

  O pior era não ver os resultados, sacrifícios atrás de sacrifícios e nenhum retorno. O espelho refletia apenas frustração.  
  O pior foi ver meus dias, as horas indo embora junto com a vontade de viver. Números seguidos de contagens, seguidos de choro e exercícios. Me lembro de não viver, de querer parar mas não conseguir... Me lembro de ter um querer e que por mais que ele fosse sofrido era sempre o mesmo e primordial querer. Era um eu que não conhecia o limite, o próprio limite.  O engraçado é a sensação de estar escrevendo isso agora... De lembrar a queimação nas costas, sentir a dor no estômago, o palpitar na cabeça...O cansaço!
  Se valia a pena? Um pouco. Não o suficiente para parar...
  O pior é ver que tudo não passou de ilusão. Ver os números voltarem... O pior foi lutar pelos outros e não por mim. De ter que ficar bem e esse bem que era visto pelos outros nunca ser o suficiente para mim.
  O pior de fato é ter certeza de que esse julgamento será para sempre, e que o juiz nunca ficará a meu favor. 

06 janeiro 2016

Deve estar escrito em algum lugar

As horas, os dias, os meses. Quando paro para pensar parece que foi em outra vida, uma vida onde nada era tão sério como é hoje, onde as palavras saiam sem significado nenhum. Onde as coisas que eram quebradas podiam ser coladas.
Deve estar escrito em algum lugar, tudo o que aconteceu. Aquela versão, a minha seguida de uma aversão ao que acontecia. As verdades batizadas de pequenas mentiras. Todas as frases, promessas que ficaram submersas em um oceano lotado de sentimentos doloridos, falsos, programados para iludir.
A montanha russa emocional que era saber que podia viver sem aquilo versos a mentira linda que era contada... Que estávamos destinados a ser o que éramos, toda ficção do ter o que na verdade... Não existia verdade.
Você se mostrava uma maré baixa, uma miragem. Um mar onde  entrei mas que me enganei, virou maré viva e me afogou. Lá no fundo, sem ar, sem forças para sair...
Deveria estar escrito em algum lugar o mau que você faz, deveria estar escrito no frasco todos os efeitos colaterais que pode causar.