12 outubro 2017

Sobre voltar

   Bom, poderia muito bem voltar a escrever aqui, mas não sou mais a mesma. Mudei drasticamente, sou uma pessoa mais pé no chão agora, alguém menos dramática. Me peguei essa semana relendo vários textos daqui, e percebi algo que não percebia antes. Vivo sempre no auge das emoções, sempre intensa e não costumo pensar no que está no presente. Sempre no futuro ou passado. Viajo de lá pra cá todos os dias.Faço análises entre o que era e o que é. Entre o que é o que será...Todos os dias escolhas e mais escolhas.
    Entrar aqui e ver tudo o que escrevi me deixa estranha por que perdi muito aqui, muito tempo, muitas explicações direcionadas a ninguém.  De verdade hoje não sinto falta de escrever os assuntos que escrevia aqui, não gosto da impessoalidade nem mesmo do sarcasmo. Não sinto falta do drama, muito menos dos conflitos vividos. Vir aqui me faz lembrar do que passou e me obriga a encarar que as escolhas que somos feitos a fazer na vida tem um tempo hábil. Não existe marcha ré na vida. E acredito estar perdendo a habilidade de antes de demonstrar meus sentimentos em palavras.
   Antes me apegava as lembranças, as pessoas que passaram pela minha vida e que já não estavam mais presentes. Hoje entendi finalmente que a melhor atitude que  tomei em relação a elas foi de deixar ir, deixar viver, deixar ser feliz. Todos ficaram bem, todos encontraram um destino e uma saída de seus próprios medos.
   Hoje vivo o depois daqui. E do fundo do meu coração, escrever aqui era um alívio para meus dias, me fazia colocar tudo pra fora por que o peso de ser eu naquela época era terrível. Era angustiante ser alguém que carregava um sorriso no rosto e um buraco no peito. Posso dizer com certeza que a busca em conhecer Jesus que tenho hoje, foi o que me salvou do abismo de mim mesma. Busco me libertar de mim todos os dias ao abrir meus olhos pela manhã. Por que Deus é o único que pode transformar minhas fraquezas em força.
   Hoje me olho no espelho e vejo alguém em construção, vejo como a vida passa rápido e que não tem como parar o tempo. Vejo alguém que não tem mais dentro de si a vontade de provar ser nada para ninguém, que vive o hoje sem rancor, sem ódio do meu passado e sem mágoas guardadas dentro da caixa com o formato de coração.

   

06 maio 2016

Ela irá se casar

Sim! Está marcado, agendado, programado. Ela irá se casar e será logo. Faltam... 28 dias.
Que irão passar rapidamente devido a correria e a ansiedade. Será lindo, será mágico. Por que ela nunca havia sonhado em se casar, não antes de conhece-lo. Ela se imaginava sozinha. Mas ele mudou tudo. Ela mudou ele e ela a mudou e fizeram  duas peças separadas tomarem forma, se juntar, virar uma só.
Então ela promete ser abrigo nos dias frios, calmaria nos dias turbulentos, e colo  nos dias tristes. Ela promete ser fiel, a não olhar para trás, a perdoar em nome do amor. Promete superar, aprender e ensinar. Ela promete ser dele e de mais ninguém e fazer do seu abraço o seu lar.
E então finalmente eles irão se casar, formar um lar, fazer de duas vidas uma história, algo para eternamente se guardar.

28 janeiro 2016

Ela

  Ela não era boa para se expressar. Vivia levando palavras na mala, por que nunca eram bem interpretadas mesmo. Será a intonação de sua voz? Será a vontade ardente de ser entendida que atrapalhava?
  Tentar provar que estava certa nunca a ajudou em literalmente nada, e mesmo assim insistia em tentar expor o que por dentro nem ela sabia definir, explicar. Eram palavras, pensamentos demais para organizar em frases.
  Das mil faces que alguém pode ter, a que mais colocava era a de implacável. Aquela que sabe o que quer, aquela máscara que tem escrito em caixa alta " SOU EU MESMA E NÃO VOU MUDAR PARA AGRADAR", mas na real não era nada disso. Sempre tentando se adequar, se alinhar na direção do que lhe parecia certo fazer, e não mesmo( nem sequer por um segundo) seguir a voz na sua cabeça que lhe dizia o oposto. 
  Com o tempo percebeu que as frases que ouvia não eram o que realmente significavam... " Seja você mesma!" era na real " Seja o que eu quero que você seja", "Você é especial" estava mais para " Sou eu que te torno especial". E por assim em diante.
  A dor não era sentida, o amor era inventado e os dias suportáveis. E então depois de muito ferir e ser ferida, de tanto procurar entender os outros e desconhecer a si mesma ela finalmente se olhou no espelho e percebeu, que não adiantava se aprofundar no outro e no que o outro desejava se não compreendia as profundezas do que era ser ela.

08 janeiro 2016

O pior

  O pior era não ver os resultados, sacrifícios atrás de sacrifícios e nenhum retorno. O espelho refletia apenas frustração.  
  O pior foi ver meus dias, as horas indo embora junto com a vontade de viver. Números seguidos de contagens, seguidos de choro e exercícios. Me lembro de não viver, de querer parar mas não conseguir... Me lembro de ter um querer e que por mais que ele fosse sofrido era sempre o mesmo e primordial querer. Era um eu que não conhecia o limite, o próprio limite.  O engraçado é a sensação de estar escrevendo isso agora... De lembrar a queimação nas costas, sentir a dor no estômago, o palpitar na cabeça...O cansaço!
  Se valia a pena? Um pouco. Não o suficiente para parar...
  O pior é ver que tudo não passou de ilusão. Ver os números voltarem... O pior foi lutar pelos outros e não por mim. De ter que ficar bem e esse bem que era visto pelos outros nunca ser o suficiente para mim.
  O pior de fato é ter certeza de que esse julgamento será para sempre, e que o juiz nunca ficará a meu favor. 

06 janeiro 2016

Deve estar escrito em algum lugar

As horas, os dias, os meses. Quando paro para pensar parece que foi em outra vida, uma vida onde nada era tão sério como é hoje, onde as palavras saiam sem significado nenhum. Onde as coisas que eram quebradas podiam ser coladas.
Deve estar escrito em algum lugar, tudo o que aconteceu. Aquela versão, a minha seguida de uma aversão ao que acontecia. As verdades batizadas de pequenas mentiras. Todas as frases, promessas que ficaram submersas em um oceano lotado de sentimentos doloridos, falsos, programados para iludir.
A montanha russa emocional que era saber que podia viver sem aquilo versos a mentira linda que era contada... Que estávamos destinados a ser o que éramos, toda ficção do ter o que na verdade... Não existia verdade.
Você se mostrava uma maré baixa, uma miragem. Um mar onde  entrei mas que me enganei, virou maré viva e me afogou. Lá no fundo, sem ar, sem forças para sair...
Deveria estar escrito em algum lugar o mau que você faz, deveria estar escrito no frasco todos os efeitos colaterais que pode causar.

14 outubro 2015

Partes

   Existem pessoas que passam pela nossa vida que nunca serão esquecidas. Existem também aquelas que mesmo que você queira, com todas suas forças, nunca irão abandonar seu lugar de direito.
Elas te pertencem, te cativaram... E você pertence a elas.
   Elas aparecem, entram em sua vida, roubam seus sonhos estilhaçam seu coração e rasgam cada parte inteira. Tem outras que colam seus pedaços, repaginam suas lembranças e colorem por cima do que antes era preto, branco...Cinza.
    Mas tem umas que são inevitáveis. Quando chegam, já chegam escrevendo no seu coração tatuando sua alma e para apagar isso? Bom... 
   A verdade mesmo é que toda sua vida é uma experiencia que gera ( você querendo ou não) marcas. Não tem como apagar o que você é, e consequentemente não existem maneiras plausíveis de apagar partes suas.

15 setembro 2015

analisando...

O ser humano é um ser mutável. Um ser que consegue se adaptar ao ambiente em que está inserido. Apesar dos danos a sua estrutura física, o corpo tem como função primária lutar pelo seu funcionamento. As células lutam para combater os vírus, o corpo encontra maneiras para sobreviver.
Mas a mente do ser humano funciona de maneira diferente. Existe a pressão, o stress, os sentimentos e tudo isso, a mente pode afetar a matéria. Afinal, as palavras são poderosas e dependendo podem fazer o homem parar, desistir e até mesmo fazê-lo pensar que não é capaz de fazer o que sonhou um dia fazer.
A leia da resiliência é abordada por vários campos de estudo como na administração, na física, na psicologia e em muitos outros. Trata-se da capacidade de lidar com traumas, stress, de não ceder a pressão. A capacidade de enxergar em meio ao caos soluções e saber lidar com inteligência situações extremas. Ser resiliente é ser capaz de recuperar o equilíbrio e enfrentar com humildade e sabedoria as situações adversas do dia a dia.