28 novembro 2014

Um dia

Eu e minha estranha maneira de passar o dia. Por que ele começa bem, e depois de algumas horas vira um inferno continuar... E depois melhora. Uma oscilação de humor que confunde não só as pessoas ao redor, me enlouquece, me deixa com raiva, me torna...

E ai nada está bom, nada acontece, nada e ninguém consegue me deixar feliz outra vez. Tenho que tentar vencer cada dia como uma batalha contra eu mesma... Por que as pessoas não gostam de pessoas instáveis, por que você não pode ser assim... Tão forte, tão perto. Tão alegre, tão triste. Tão misturada de sentimentos contrários.

As pessoas acham que são dois estágios de sentimentos que as diferem... Pra mim não. Eu sinto tudo ao mesmo tempo, não tem essa de ou estou feliz ou estou triste. Esses dois extremos se cruzam dentro da minha cabeça. Em um minuto euforia, em outro melancolia. Um momento quero viver para sempre, em outro quero morrer, sem pensar nos que me amam, só quero que a morte venha... Que me pegue no colo, que me leve.

E depois de umas horas a vontade de ser eterna, a certeza que estou confusa e nada mais, E além disso tudo, de toda essa guerra interior de querer um futuro mas não suportar o presente, de querer morrer e viver na mesma intensidade, de querer ser quem sou, mas sendo outra pessoa... Além disso tudo, a risada alta, o choro silêncio, e me bater... Me forço a manter a mente em outra realidade, fingindo me importar, me encaixar nos padrões, busco por fora me manter lucida. 


Mas eu sei.. sei mesmo, que por dentro estou no olho do furacão, perdida dentro de mim, tentando sobreviver em minha mente insana por mais um dia.

27 novembro 2014

Indiferença

   E é essa sua indiferença que mata. Com seus olhos que não dizem nada, boca que não se abre, tempo que perde. E essa sua maneira de fazer as pessoas ao redor não se sentirem parte importante, que pode modificar, que pode de alguma maneira te afetar.

   É essa sua mania de olhar não para mim, mas através de mim. Essa sua maneira dolorosa de ignorar todas as diretas e indiretas lançadas a você, a mim, a nós. Sua mania intrigante de responder as perguntas com mais interrogações, e do dom de conseguir ficar quieto por muito tempo... Tempo.

   E todas as palavras que demoram para sair...Não se sabe o que é pior, o tempo da espera para ouvi-las ou no fim ouvi-las. Porque são doídas, por que elas parecem rasgar sua garganta ao saírem e me ferir ao recebe-las.

E no fim... E é apenas essa indiferença que mata. 

26 novembro 2014

E o que foi...

E o que foi que você fez?
Parou no tempo e se anulou, fingiu ser menos importante do que os outros. Focou em agradar e não pertencer, ser...

Analisa hoje tudo que fez e como pôde descobrir dentro de si uma segunda pessoa, uma mais egoísta, mais metódica, fria e calculista. Uma que não sabe amar e que não sente, uma que explode.. Que sobrevive entre picos de euforia e melancolia.
 Se deixou levar, se deixou literalmente enganar ao permitir sentir o que os outros queriam, ao que era forçado pelas circunstancias a ser. Acreditou, não em si mas em todo o resto e no fim se permitiu esquecer de quem é, do que foi e do que sempre foi  predestinado a ser.

24 novembro 2014

E foi um garoto...

E foi um garoto que me mostrou como sorrir

Que chegou em março, sem eu perceber
Um garoto que iniciou o saber
Uma vida cheia de querer
Sonhar com um futuro, querer crescer

Ele me deu tudo sem eu ter que pedir
Me deu seu mundo e razões para ficar
Me tirou do nada, ensinou-me a sorrir
Colou meus pedaços, me ensinou a amar

E foi um garoto que me mostrou como sorrir
Um garoto que iniciou o saber
Me tirou do nada, ensinou-me a sorrir
Sonhar com um futuro, querer crescer

Me livrou do abismo, da morte desejar
Me mostrou o paraíso com o seu beijar
Me deu seu mundo e razões para ficar
Foi esse garoto, que me ensinou a amar

17 novembro 2014

Ao passar

Acordar e se encontrar perdido. Passos entre o ontem e o que está por vir do hoje, buscando lembranças do que se foi, do que se é e do que será. E aos poucos os pontos vão se ligando, até entender onde está, onde esteve e onde deveria estar...

Então começam as listas... Do que fazer, do dizer e do que evitar. Das obrigações, do descansar e do planejar... E listas, e mais listas e listas... E números, contagens, quantos passos eu já dei? quantas palavras já devo ter dito até essa hora do dia????

Quantos cafés já tomei, quantos chás já desejei, quantos horas tenho até as sete????  Quantas pessoas já passaram por mim na rua, no ônibus, na vida?

E são tantas escolhas, tantos por quês e tantos desejos controlados... E são tantas opções, canções e danças para se desfrutar... Fora a estante, lotada de livros, de histórias e verdades..

Como pode o tempo não ajudar? Como pode minha vida ser lotada e vazia, ao mesmo tempo... Ao passar?!

28 outubro 2014

Mas para alguém como você, eu tenho tempo quando não tenho

   Não existem maneiras para descrever o que é sentir através das palavras, o que é sorrir através de frases e o que é lutar dentro de sonhos.
   Não existe imaginação  capaz de captar o impacto do que é  real. Do que ver o que sempre imaginou se materializar...
   Não existe magia capaz de retroceder o tempo, de voltar ao início, de apagar sentimentos que vieram para ficar.

   O que existe é o atrito, falta de controle, do querer mais do que poder e do sentir mais do que se permitiu um dia sentir.

23 outubro 2014

Momentos

   Dormir e acordar ao seu lado, Caminhar na beira da praia ao entardecer... Contemplar o nascer do sol em uma fazenda. Ouvir musica lenta, dançar com você sobre o luar, sentir o vento balançar, trazer a calma e ninar a rede. Olhar você dormir, me sentir infinita, deitar minha cabeça em seu peito e adormecer...
   Deitar na grama verde e imaginar desenhos nas nuvens, andar de mãos dadas com você sem rumo, tomar sorvete passeando com você e andar nas ruas como se o mundo fosse nosso. sentir sua pele, provar sua vida, tomar café no frio, sentados na varanda...
   Te enxergar no escuro, ser seu amor, ter você para me abraçar, para me segurar no mundo...

    Ficar com você, ficar com você, ficar com você!





22 outubro 2014

   O momento que encontrará uma pessoa, que de tão interessante parecerá ter sido inventada. O momento em que pensará em como ela será e o que deve fazer. O dia e o horário que enxergará em cores pela primeira vez, como em um dia nublado onde essa pessoa brilhará e iluminará por onde passar. Como se suas pegadas fizessem florescer, pintar de verde esmeralda todo cinzento do universo.

   Essa pessoa será como um Sol particular, que aquece e faz crescer e que para alguns fará tudo girar.

17 outubro 2014

Não, eu não quero viver só

   Quando era criança, pensava que iria crescer... Mas nunca conseguia me imaginar velha, velha seria correto? Bom, não me imaginava idosa. Muito menos adulta. Me imaginava jovem, jovem do tipo 25 anos de idade, e nada além disso.
   Era fácil pensar em como eu queria ser, e como as coisas deveriam acontecer pra mim. Lembro, que quando fiz quinze anos o senso de morte e o significado dela para mim foram criando uma curiosidade e um frisson. Não sei ao certo o por que do fascínio por esse assunto ter começado, mas quando fiz dezesseis anos uma verdade, que eu havia determinado que seria a verdade, se instalou como um vírus em minha mente... E a conclusão para todo aquele fascínio era que eu não chegaria aos 20 anos, que iria morrer antes!

   E ai, minhas conversas tinham o mesmo tema: a morte. Entreva em carros e imaginava acidentes, entreva em elevadores e pensava que iriam despencar no poço. Andava na rua pensando em tiroteios, quando sozinha em casa  e estava no banho  pensava que alguém poderia me matar. Eram tantas as causas... Afogamento, morrer dormindo, ser atropelada, ser morta em um assalto. 

   Não queria ter relacionamentos duradouros, por que a certeza de que não viveria até completar vinte anos era mais do que real para mim. E então, comecei a adquirir hábitos...Me afastar,a não me apegar as pessoas, a me distanciar mentalmente dos lugares. Buscando sempre não sentir, não saber, não me envolver...

   Tudo era sempre difícil, por fora alegre por dentro um desespero, uma vontade louca de gritar. Por fora alguém engraçada e até simpática por assim dizer, por dentro um oceano de interrogações, de raiva, uma vontade desesperada que o episódio final acontecesse logo. Por que a espera era angustiante, por que era muito para suportar!

   Hoje, prestes a fazer vinte e quatro anos ainda não entendo o motivo para tanto querer. E as vezes, no fim da noite ainda me vem essa vontade louca de partir... Mas não pelos motivos de antes. Os motivos são novos, pois hoje já me deixo envolver por algumas pessoas... O motivo hoje seria o medo, por ter quebrado a verdade inicial. Por que se até agora não aconteceu, vai demorar muito além do previsto para se concretizar e talvez, no fundo da minha alma eu tenha me tornado eterna. E isso? Isso significa permanecer, enquanto todos os outros se vão.


   

09 outubro 2014

Mim

   Corre em minhas veias a vontade louca de te abraçar e de te por no topo do mundo. Uma vontade louca de te aquecer em dias frios, de tirar o peso do mundo das suas costas com um beijo.
Sinto dentro de mim uma ausência louca do seu cheiro, uma saudade imensa de deitar em seu peito e só seus batimentos ouvir.
    Quero tanto abraçar sua vida, sentir o completo. Sinto saudade do frio na barriga, de sentir saudade mesmo antes de partir.
   Corre em meus pensamentos as interrogações que um relacionamento gera. Vem como uma onda sobre mim todas as promessas que já ouvi. Lembranças do passado que não fazem sentido...
   Navega dentro de mim águas passadas que se misturam com novas, que se movem até gerar um mar de sentimentos intensos que no fim transbordam, se vão para fora de mim.

06 outubro 2014

Pegue minha mão, pegue minha vida inteira também

Ouvir Can't help falling in love - Elvis ( versão Ingrid Michaelson)

    Tem dias que nada flui, que  tudo parece ser ruim. E as horas são embaladas, amarrotadas, envolvidas por baladas antigas e tristes. Se olha para fora tentando encontrar o que na verdade só pode ser achado dentro. Dentro de si mesmo. Por que meu bem? Por que me perco em mim mesma?       Existem minutos preenchidos de raiva... De medo. Dias quentes que são invadidos por ventos frios. São como comer uma comida linda e colorida, mas sem sabor.
   São ecos, fantasmas que voltam para assombrar... São feridas, como um machucado que pulsa a carne, que arde, que dói, que jorra...

   Tem dias que são pura monotonia, pura saudade. Pura agonia de perceber que o tempo não se pode controlar. Que as vozes morreram, que melodias novas nunca mais poderão se formar por elas.
   Tem dias...



22 setembro 2014

ARRRRHH




Não consigo escrever mais. E não é pelo fato de me faltar ideias, é pelo fato de ter que coloca-las para fora. A preguiça consome todos os momentos dos meus dias e mesmo assim me obrigo e vim aqui. Estava praticamente morto cada pedaço meu, cada mensagem... Ainda está.

Só deve ser o stress, só deve ser...

19 setembro 2014

Fluindo

   O direito que hoje tenho de escrever sobre coisas que antes temia verbalizar por medo de machucar as pessoas, não foi me dado. Foi adquirido com o passar dos anos meus. Pensamentos antes camuflados em versos fracos e enigmáticos. é de extrema liberdade e loucura escrever exatamente o que se deseja. E de fato, são palavras lançadas que nunca mais voltarão para dentro de mim.

  Palavras recheadas de coisas boas, e outras manchadas de verdades feias... Frases mascaradas de açúcar, quando que por detrás são puro sal, pimenta e fogo.


17 setembro 2014

O que tem dentro da caixa em formato de coração

Gosto de deitar e pensar no que poderia estar fazendo ou sendo se ainda estive ai. Se você me olharia com essa cara de mistério, ou se me apertaria até eu perder o ar. E fico a imaginar se o silêncio, suspenso de pensar e de palavras iria nos consumir como de fato acontecia.  Era difícil declarar tanto afeto e querer, e você mesmo sem saber transmitia medo, preocupação  e desconfiança de tudo que dizia conhecer.

A intensidade do sentir e querer bem, do pensar pra frente e esquecer o que havia passado. Éramos sim felizes e animados, sonhadores de um destino que hoje não pode acontecer. Por medo de entregar tudo que me restou coloquei, por um tempo imenso, em uma caixa tanto amor. Me fechei em razão, esqueci toda emoção.

E por fim, abandonei. Com frio e sozinho te deixei. Com a certeza que hoje tenho que perdão nunca vou ter... E que nada, nada mesmo vai aquecer o que antes era fogo, paixão e querer.




27 agosto 2014

Lágrimas não são argumentos

Quando se cansa de tentar entender. De colar os pedaços que foram quebrados. Quando se olha e não reconhece as atitudes, o olhar e até mesmo o jeito rude de falar que antes era inexistente. Quando se pensa que o outro desistiu... Que no coração pode não ter desistido, mas as atitudes dizem que sim.
Quando se pergunta o por que de tudo ter mudado tanto ao ponto de o silêncio se instalar e quase ensurdecer o ambiente.

E ai... Ai se percebe que as palavras não significam nada. As lágrimas não são argumentos e o tudo que um dia você achou ser um oceano profundo de felicidade... Bom as vezes não era assim o tempo todo. Aconteceu que as lágrimas transformaram o oceano em  uma miragem.

E o que resta? Se afogar nas águas e esperar uma.. sei lá, atitude.

22 agosto 2014

E que o medo da solidão não faça com que a tristeza pareça algo suportável

Demorou para o encontrar. Demorou tempo demais. Mas o conforto que sente ao se deitar ao lado dele, transmite a ela a ideia de que está no momento certo e onde deveria estar. E tudo que passaram serviu para  ensinar a cultivar o que um dia começou entre eles a existir e crescer. E que o que aconteceu antes dele aparecer  serviu para a preparar para o depois dele, para lapidar partes que não deveriam pertencer a sua personalidade e reações que acontecem ao seu redor.

E hoje, ele é a prova de que existem milagres. De que existe- independente do tempo que demore para se encontrar- amor de verdade e confiança em outro ser humano falho como todos que neste mundo vivem. E o medo? O medo da solidão não deve fazer ninguém  aceitar qualquer sentimento e tratamento que oferecem... Por que um dia, quando se menos espera o amor aparece, muda tudo.. e simplesmente floresce!

05 agosto 2014

Tu irá Casar

A sensação. O instante em que se percebe que foi longe demais, que não tem volta. E quem disse que voltar atrás é uma possibilidade, ou até mesmo uma interrogação em sua mente?  A certeza é real.
A ansiedade. O querer provar de uma nova vida ao lado de quem se quer bem, se quer perto, se quer por inteiro. 
O medo. A angústia de não saber. O que será? Como será? Apostar em uma combinação, em uma complexa união de destinos. O ato em si de assinar, de beijar e admirar até que ponto tudo os levou até ali, só me leva a perceber e assim assimilar que Deus  deu a eles o maior presente. E que por sorte, ou destino estarei lá para testemunhar o milagre que é se entregar ao raro ato de fidelidade, de alegria, de amar.


Para Ludmila & Roger <3

01 agosto 2014

Tudo (2)

E como sinto falta. Do tudo, do nada. Do poder olhar pra você. Sinto. Sinto tanto. A dor, o desespero, o medo de um futuro desconhecido e de sim, você não fazer parte do que está por vir. Sim! Tenho pena. Do modo como tudo acabou, do modo como você saiu de orbita, de como um simples dia desapareceu. Triste por não saber, nem ao menos, sobre coisas que antes eram simples e presentes em todos os meus dias, em nossos dias. Faz tanto tempo, vários anos... E a dor de não ouvir sua voz, sua risada. A dor imensa de só imaginar seu sorriso e não o realmente ver. Faz tempo. Faz tanto tempo.

O perfume. O cheiro de menta. O típico abraço apertado que sempre me pareceu ser o único motivo da gravidade me puxar para baixo, me fixar no mundo.  A gargalhada, o frio, o nada que ao seu lado virava tudo.

28 julho 2014

Frio

Uma janela. A chuva e a calma que o fim de tarde de dias como esse traz. Eu, sentada olhando através do vidro, através do que muitos ignoram por causa da correria.
O cheiro do café misturando o ambiente, construindo um fervor em mim. Dentro para fora... De dentro para fora.  E com as mãos frias, segurei a xícara. E me assegurei de que ali, admirando as gotas da chuva nas folhas encontraria um pouco de paz, um conforto e  solução para o stress.
Meias. Lã sobre minha pele. Som. John Mayer ao tocar. E minha alma despertando, se libertando da correria e se acolhendo na rotina que é a busca pela simples t.r.a.n.q.u.i.l.i.d.a.d.e!

23 julho 2014

Ela

Realmente, não sei como ela funciona . Como e por que me lembra e coloca o passado em evidencia do nada. Não sei por que as vezes parece -de propósito- me martirizar com pecados e atitudes que nunca, nunca mesmo poderei e nem ao menos terei jeito de voltar e apagar ou até sei lá... Reparar o dano.

Sei que todo mundo erra, e que fazemos coisas sem pensar. E que machucamos uns aos outros sem parar... Aliás, conclui que o ser humano em geral passa a vida consertando erros passados de uma forma quase que compulsiva.

De verdade? Não sei mesmo por que ela é má comigo ao me olhar no espelho. Não sei por que me faz pensar em números e loucuras que ela mesmo não deve saber de onde vieram. Fico com a hipótese de que ela gosta de afrontar, de confundir, de me fazer pirar.

Enfim, a mente? Ela mente! É um labirinto onde qualquer um, ou todos podem se perder.

21 julho 2014

Tudo

 Nunca seria como antes.
 No momento em que se descobre meios, mentiras, verdades ocultas... Tudo muda. Tudo!


Devo ser sincera a respeito de meus pensamentos e sentimentos. Os transformo em frases, textos por que preciso coloca-los em ordem. Estipular controle, níveis... Tentar enxergar do alto esses labirintos e descobrir a saída.
Mas a pergunta mais importante se forma: Será que descobrir a saída me faz inteira como antes?

E uma parte de mim responde: Não! sempre haverá uma marca. Um pequeno lembrete, um fantasma do que um dia foi seu presente.

15 julho 2014

Furacão

Hoje está difícil. Não quero nem escrever. Estou com um misto de raiva, alegria por algumas coisas e raiva de novo...  vai entender.

14 julho 2014

Bom dia

Olá

Hoje está muito frio, e nem meus pés sinto. A vontade que dá é ficar em casa debaixo de uns... uns 4 cobertores e uma xícara de nescau quente só para acompanhar. Ou um café preto que é menos calórico. Sei lá..

Mas tirando o frio( e nem estou reclamando, antes frio que calor), estou bem. Bem não de uma maneira geral, mas de uma maneira que dá pra continuar. Ontem uma pessoa veio me pedir ajuda sobre transtornos alimentares. Ok, pode rir. Como EU poderia ajudar alguém? Na hora pensei... Cara ela só pode está de brincadeira com a minha cara.
É complicado pra mim só falar disso tudo com alguém cara a cara entende? E lá vem essa bomba pra estourar na minha mão. Fiquei irritada demais na hora. Por que a pessoa chegou em mim e disse que estava com prática bulímica (se é que você me entende), e que isso já fazia uma semana e que praticava- é como se fosse um esporte- essa merda pelo menos duas vezes por dia. Olha, não me julgue mal mas eu não escolhi ter um distúrbio alimentar. Eu não sou feliz com isso, eu não acho legal e nem bonito ter medo de comer, ter medo de engordar, ter medo de sair com amigos por que é LÓGICO que eles vão sair para algum lugar que tem comida.  Aí vem uma pessoa e me diz que está fazendo isso com uma naturalidade que eu não compreendo.
Quando eu parei de comer, não contei para ninguém. Era meu segredo. Era meu desafio pessoal. Se alguém soubesse iriam tentar me parar. E só hoje que consigo ver o quão doentio era e é minha vida em relação a alimentação. Agora essa pessoa... essa pessoa sabe que o que está fazendo é errado. é como se fosse uma modinha para ela. Como se fosse algo legal de se fazer parte. E isso me deixa muito irritada.  Como alguém acha legal ter bulimia? Como alguém acha legal ser anoréxica?

Eu falei para ela parte do inferno que é minha vida nas horas das refeições. O quanto tenho que fingir estar normal na mesa. O quanto paranoica sou a respeito de peso, e comida e balança... e fitas, e números e tuuuuuuudo. Contei que não é bonito, contei que se pudesse pararia com meus pensamentos.Que fugiria de mim...

E no fim só disse o óbvio.: - Enquanto você não quiser parar, ninguém vai fazer você parar.

Ah que hipocrisia kkkkkkk me dá raiva de mim, me dá raiva dela, me dá raiva de repetir o que me dizem e que de verdade? não funciona. Nem eu querendo.

10 julho 2014

Esse lugar

Esse blog revela o pior de mim, o melhor de mim também. Sempre que a intensidade dos meus pensamentos e sentimentos me tocam eu volto para cá. Em geral, quando estou aqui é por que não está tudo do jeito que deveria.

Ontem eu comi um lanche do Mc Donald's. Como sabia que iria sair a noite, almocei algumas folhas de alface. e um biscoito salgado para minha pressão não cair.  Muito limão por que ele ajuda né?
Antes eu estava melhor. Olha, eu ando comendo pizza. E coisas que antes estavam fora de cogitação. Então estou melhor em alguns coisas né? O pior não é o comer agora. O pior é o depois. As perguntas são sempre as mesmas: Porque você comeu? Você realmente precisava? Nossa você já não comeu o suficiente hoje? Você já não ganhou peso o bastante?

Mas é uma droga mesmo viu... Estou tentando melhorar para as pessoas que importam não sofrerem comigo. Eu juro, estou tentando.

09 julho 2014

Pensamentos

Faz tempo. Muito tempo que não escrevo sobre nada.  Escrever sobre meus pensamentos não é algo que me motiva.

Mas hoje senti de estar aqui.Olhando para essa página em branco, para essas letras... Para testar palavras, para por para fora o que me perturba.
 Estou tentando melhorar. A anorexia é cruel. Te deixa louca. Te deixa irritada. Te deixa triste. Faz você fazer coisas que no fundo não quer.  E ao mesmo tempo que quer, não quer. Ao mesmo tempo que come, te faz se odiar e lamentar cada mastigada.
Eu engordei. Para a felicidade de minha família, não para a minha. Não para mim. Meu plano antes era chegar aos 42. O meu hoje? não passar dos 50. Isso poderia ser uma melhora? Creio que sim.

Antes eu me pesava toda hora. Hoje tenho medo de subir em uma. Sei que se subir e contabilizar os ganhos... nossa, eu vou parar de comer. E vou enlouquecer tudo de novo.  T e confesso, o medo é grande. A irritação também. Não estou feliz com isso, e se tivesse dinheiro com certeza procuraria um psicólogo.
Estou evitando me olhar no espelho. Tenho medo de caber em minhas calças antigas, então as escondi da vista. Tenho medo de medir meus braços e pernas. Tenho medo. Voltar para casa a pé. Não deixar de me exercitar. Posso comer e logo fazer umas flexões? exercícios para definir pernas. Para afina-las.  Uma loucura para ser magra? para ser considerada fútil? Eu odeio isso! Odeio ficar pensando nisso.

Há quem diga que eu gosto, que quem escolhe isso sou eu. Mas só para você saber, não bem assim. Ninguém gosta de ter um distúrbio ok? As pessoas passam a vida buscando fazer parte de algo, de ser normal.

Não estou feliz com isso. Não mesmo. Não falo nada para minha mãe por que ela pensa que estou melhorando. Não falo pra minha irmã por que ela sofre sempre que falo. Estou sozinha nisso.

22 maio 2014

Falando...

Nada é pior do que não querer se levantar, recomeçar. A pessoa se sente pesada e não sabe nem por onde começar.

- Por onde começo? Qual parte de mim está mais quebrada?

As vezes a pessoa sabe que precisa se renovar, se reinventar mas não quer. Julga não poder, não conseguir. O ato de se auto condenar a viver uma vida de consequencias de atitudes passadas é triste, por que acreditando fielmente nisso se chega a conclusão de que nada pode ser mudado. Que não existe a possibilidade de recomeçar. A verdade é que todo mundo alguma vez já se sentiu assim...
 E o que diferencia uns dos outros é a capacidade de reconhecer e enxergar uma luz no fim do túnel. Alguns julgam isso otimismo, eu prefiro chamar de fé!

19 maio 2014

Olhar

O olhar. Aquele simples e terno voltou. Aquele que sorri, que você não se cansa de admirar. Quando alguém lhe presenteia com ele, você sente que este alguém realmente te notou, está presente. Aquele olhar... Que diz mais do que as palavras. que ilumina e faz acalmar.

05 maio 2014

Em recuperação

Ele morria. Ia embora, me deixava. Como ficar aqui?  O que seria de mim?
As pessoas me abraçavam, me diziam coisas como: Você ainda amava ele? Como você soube?
Era um inferno. Tudo despedaçado, quebrado. E toda a expectativa de um um futuro estava em chamas.
E quando todo o grito de angustia não conseguia sair pela garganta... E ao passar de um plano para o outro. De repente o som chegou e junto com ele a realidade. Era apensas um pesadelo. Dos bem reais!

23 abril 2014

...

A certeza de que um dia tudo vai estar do jeito que sempre sonhou a faz avançar em meio ao caos. Faz o dia amanhecer com objetivos a serem conquistado. Tudo tem um porque e nada pode ser tão ruim quanto parece.

14 abril 2014

Como mudar?

Ontem foi uma noite reveladora. Ou eu aceitava mudar, ou tudo que um dia eu sonhei poderia seria só isso mesmo:Sonho! Nada de realizações para você karenn... Nada além de lamentações e desperdício de tempo e paciência alheia.
Então fiz uma decisão. Afinal, ficar parada com uma cara emburrada nunca mudou as coisas. Não mudou nada até hoje não é verdade?  Eu quero a cura. Mesmo que algumas pessoas pensem que ela não existe e que se convive com a anorexia para sempre e que ela pode ser controlada com sei lá... Terapia talvez.
Seria de extrema hipocrisia de minha parte não acreditar numa cura. Sou evangélica desde o berço, e se me perguntar como cheguei a este ponto não sabia lhe dizer. Me sinto envergonhada.
 Então abaixo colocarei meus dados e vocês podem ter certeza que esse números irão subir. Estou entrando hoje em tratamento, mas minha cura eu creio que já veio. O que vai acontecer agora será uma mudança de hábitos na verdade. Nada mais de me pesar 7 vezes por dia. Nada mais de contar calorias. Nada de fitas. Nada de espelhos sem extrema necessidade. Nada que me faça desistir de ser normal novamente. Chorei muito, aceitar a cura e o tratamento não foi fácil. Mas eu creio que Deus  irá me capacitar e sairei dessa. Tenho que me reerguer, e uma coisa que aprendi é que o mundo não espera seus problemas se resolverem para voltar a girar e tudo acontecer. O mundo não pára pra ninguém- e não aceito nem mais um segundo- viver do jeito que estava vivendo.
Jesus morreu para que nós tivéssemos vida, e vida em abundancia. Eu confio.

altura: 1.64cm
peso: 46,5

meta? 54 quilos e uma felicidade que não dependa de números.

11 abril 2014

???????

Bom dia,

Não estou bem. Estou bem mal na verdade. A ponto de ter um surto. N ão sei o que fazer, como fazer o que pensar. Minha cabeça não pára de girar e estou a cada dia pior. Eu ando conversando com pessoas que estão tentando me ajudar. Mas meu humor sempre piora. Quando vi já tratei alguém mal. Quando vi estou falando sem parar e andando de um lado para o outro. Não consigo ficar parada. Não consigo sentar e relaxar. Não ando dormindo, não ando comendo, não faço nada além de tentar estudar para minhas provas e fazer meus trabalhos da faculdade.

Uma pessoa que eu sempre pensava muito do meu passado apareceu essa semana. E ela foi importante. Não lembro de quase nada da minha infância, mas o que eu lembro de bom com certeza tem essa pessoa envolvida. Quando essa pessoa foi embora, muita coisa mudou. Minha vida mudou completamente. E tomamos rumos diferentes, apesar de sermos muito parecidos, isso foram as palavras que ela usou.
 Tem como sentir falta de algo que você não teve? Tem como você sentir que a vida roubou de você alguém? Isso é normal?

Ontem eu fiquei me olhando no espelho. Fixamente e pensando... Se essa pessoa soubesse o que eu ando passando, ainda sim gostaria de mim? Uma coisa que aprendi com a vida é que as pessoas fogem de gente com problemas. Ninguém quer alguém infeliz por perto. Ninguém quer alguém  quer ter uma karenn cheia de interrogações. E me pego chorando por que não quero ser isso. Não quero ser a karenn estranha, maluca. Com problemas.  A menina do meu trabalho disse que eu preciso chorar. Ela pode ter razão. Sinto um peso enorme, uma angustia que não passa.

Deus, por que eu não consigo comer? Por que não consigo me recuperar? Como vim parar aqui? Por que minha vida é repleta de sentimento de abandono? Eu tenho medo. Morro de medo Meu Deus... Eu fico tentando não me apegar, tento não pertencer as pessoas. As afasto as vezes... Porque eu tenho medo de ser abandonada. Tenho medo de precisar. Será que um dia alguém vai me querer e eu vou conseguir me reerguer?

O que eu realmente queria era ser aquela karenn. Que brincava, que vivia. Que sabia viver. Eu queria não ter esse universo paralelo na minha cabeça. Não me ache depressiva nem nada. Por que com as pessoas não sou. Pelo contrario eu sou boa em ser feliz perto das pessoas. O problema não é esse, entenda.. O problema é o oposto. Quem sou eu? Eu sei o que aconteceu comigo? Eu quero viver assim?

08 abril 2014

Quem, o que, nós.

Quem é você, que com as palavras me alimenta, me ilumina,  incendeia?
Quem é você, que com o abraço me completa, me inquieta, minha mente clareia?
Quem será você?

O que seria eu, sem teu encanto, sem teu sorriso sem teu brilho?
Quem seria eu, incompleta, sem abraço, sem você no meu caminho?
Quem é você, que sem um eu se perde e se limita?

Implore-te não me deixe só,
Pois o que seria de você,  sem um eu e eu sem um você? Que juntos nos fundimos em brilho, em beijo, carinho, em nós.

07 abril 2014

Tão simples.Tão forte.

- Todos tem medo querida.
- Medo de quê?
- Medo de precisar.
- Precisar?
- Medo de precisar pertencer a alguém. Isso é normal. Se você ama, diga o que sente. Apenas assuma e experimente a sensação de se sentir completa.

27 março 2014

Ele e Ela

Ele parecia distante a cada dia mais.Não, a cada minuto. E as vezes a fazia pensar que tudo que foi dito não passou de frases bonitas escolhidas pelo calor do momento. Não poderia cobrar tudo que foi dito. Não poderia e nem iria, não intencionalmente.
A verdade é que as palavras dele tinham mais calor do que se podia ver em seus olhos. Era como se ao longe tudo fosse melhor e mais intenso. Não deveria ser o contrário?  As palavras não casavam com a imagem. E apesar de toda a graça e beleza que as vezes saiam de sua boca, toda a chama e até mesmo as faíscas se apagavam quando seus olhos pairavam sobre os dela. Será que era ele? Quem era ele?
  Ele era lindo e mesmo assim nada acontecia. Não havia magia, coração acelerado pronto para explodir. Ele dizia amar, mas será que saberia definir o que era amor? Ele cobrava e queria um futuro, e de tanto pensar no futuro se perdia em um presente vazio. Ela ao olhar em seus olhos não o via por dentro. Era como se ele escondesse algo que o matava lentamente.  As vezes frio, as vezes chorava por medo. As vezes dizia coisas inesperadas e lindas, e quase sempre o silêncio.
Por mais que ele fosse lindo e suas palavras fossem doces, ela queria o sentir presente. Sentir e não ouvir que a amava. Isso era o que ela queria. O que precisava.
 

24 março 2014

Enfim...

Oi.

Hoje não é um bom dia. Estou irritada com muita coisa, e acima de tudo comigo mesma. Esse final de semana foi - me perdoe a expressão- uma merda! Em geral fiquei como sempre fico. Isolada do resto da humanidade em meu quarto ou de propósito focada na televisão.  Não fiz nada. E não mudaria nada também. Não respondi bons dias ou ois que foram direcionados para mim. Não fiz nada além de dormir e dormir. De ficar deitada pensando no que alguns chamam de vida.
Vou te contar uma coisa, sei que meus problemas não são nada comparados a grandes catástrofes. Terremotos, a fome, a aids  e ao câncer. Sei que meus problemas não se comparam com as pessoas que perderam tudo. Família, amor, qualquer coisa dessa categoria e grau de importância.

Acontece que para todos existe um tipo de inferno pessoal. E sei que cada um tem o mal que consegue vencer. E sei todas as filosofias baratas que existem. Sei também que existem pessoas piores e problemas e limitações maiores. Sei de tanta coisa. Sei o que é dor, mas talvez não o tipo que vocês conheçam, por que cada um sente de um jeito. Talvez eu seja racional demais ou talvez vocês sejam. Talvez eu esteja com problemas que nem mesmo eu entenda. Talvez...

Não adianta me comprar comidas que para você são boas. Não adianta me levar no melhor restaurante de cidade. Não adianta ficar me dizendo que estou magra demais ou feia, ou que dá para contar minhas costelas. Não adianta me olhar torto quando separo um simples pedaço de pão em pequenos pedaços para escolher quantos deles irei comer. Não adianta nada me julgar, ter pena ou até mesmo me tratar mal por achar que o jeito que estou vivendo não é vida.

Afinal, quem disse que considero essa a melhor maneira? Só quem já passou por isso - se é que existe uma cura para isso- pode entender o que é e como é. Não sei se alguém pode me ajudar, e as vezes não quero ajuda. Só quero ficar deitada na minha cama e esquecer as palavras: espelho, balança, caloria, imc.

Só gostaria de dormir e poder esquecer um pouco disso, por que ando bem deprimida. Desistente. Não quero parecer deprimida, mas estou. E muito.

Sei que poderia ser pior, mas por favor. Não me faça sentir pior por estar mal com coisas que para outras parecem banais.

20 março 2014

Quando ela...

Quando ela bate, se sente uma dor diferente. Daquelas que nem quem sente sabe explicar. Uns dizem que é como uma forte dor no peito, seguida de uma falta de ar e um sentimento de descontrole por não saber o que fazer com ela.
Quando ela vem, não vem sozinha. Trás suas amigas, e essas amigas dão força a ela. A intensifica. Aumenta, aperta, faz chorar.  Há quem diga que seus nomes as definem perfeitamente. A maneira como se pronuncia, a assimilação. O poder das palavras de transmitir o que não se tem como escrever, falar, ler. Apenas sentir.

Dor. Lembranças. Alegria. Um misto disso, tipo lembranças recheadas de dor e alegrias. E ai quando ela vem e bate. Quando a saudade bate forte e vem, nada consegue ser explicado. Só se respira bem fundo o perfume o seu cheiro.

19 março 2014

Infinito e invisível

Você deveria ser menos perfeito, e deixar de ser tão enigmático e misterioso. Devia estar mais perto para todos conseguirem não somente te ver e sim o enxergar por inteiro. Não devia sorrir assim, me deixa sem ar.
De todas as partes de você, a que mais encanta não é possível olhar, só sentir e ouvir. E ao palavras de carinho dizer, vem em minha mente a vontade de te-lo por perto para que aqueça-me de maneira que até meu coração sinta o teu sol.
Aquele momento em que apenas imagino saber tudo que pensa e sente só de olhar em seus olhos é mágico, e me sinto tonta só de imaginar que inventei um você que talvez não exista. Que posso estar realmente sonhando com o invisível, com o improvável amor que jamais poderei chamar de meu.

17 março 2014

Falando sem parar

Hoje acordei me sentindo mal. O estomago dói, a cabeça dói e mesmo tendo ontem dormido a tarde toda me encontro cansada demais. Minha mãe diz que é falta de vitamina, falta de comer. Ela pode ter razão.
E agora te pergunto, ó pessoa que me lê, você  alguma vez na sua vida teve crise de ansiedade ou ataque de pânico? Se a resposta for sim, bem vindo ao meu estado de espirito. Se não, sorte sua meu amigo.

Odeio quando fico sem controle sobre minhas emoções, e isso ocorre todo tempo. Fico pensando que já era para ter me acostumado, mas não. Não me acostumei ainda. Deve ser por que não é normal se sentir assim. Nunca vou me acostumar.

Um misto de desespero, falta de ar, dor no peito e o choro descontrolado que vem com uma força louca. Não entendo nada. Só sinto tudo isso junto. Parece que vou explodir, por que não não consigo manter o controle. Quando percebo, já estou chorando, respondendo as pessoas. Virando alguém ridículo que não tem noção de nada e que só pensa em sua própria dor. Afinal, na hora não consigo pensar em nada além de querer ficar sozinha, e o contato pessoal,o toque de alguém e até mesmo a pergunta " o que aconteceu?" me irrita de uma forma louca. Por favor, nunca sinta pena de mim. Nunca me dê colo se for por isso. Não me toque, não me olhe, apenas me deixe.

O pior é que não sei a resposta para as perguntas do tipo: O que aconteceu? Porque está triste? Alguém te fez alguma coisa? Você não come por que alguém te chamou de gorda? Você tem comido? Qual o seu problema?

A " você está se matando aos poucos sabia?" é a que mais me irrita. Aaaaaa que vontade de matar uma pessoa dessa. Ai me dá vontade de revidar com umas do tipo: Você acha que eu queria ter isso? Que fico a vontade em não conseguir comer sem sentir culpa? Me sentir enorme e feia o tempo TODO? Me sentir burra e ridícula por me importar tanto com minha aparência? Acha mesmo que gosto de passar mal e ter tonturas? E mais, você de verdade acha que eu gosto de magoar as pessoas com essa paranoia?
Então não ferra!

Se eu soubesse o por que e essas respostas não estaria nessa situação. Raiva constante e um vontade de sair correndo gritando sem rumo. Mas no fundo sou uma pessoa boa, devo ser pelo menos. Por que tem gente que me acha maravilhosa. Ai me pergunto, quem deve ter razão?

14 março 2014

Conspiracy- Paramore


Não sei mais como agir, o que fazer. Estou desesperada. Louca por um objetivo que sei que nunca será o suficiente. Como não pensar sobre algo que não sai da minha cabeça? Como? E o por que de me sentir tão só... Um vazio de viver só no meio de tantos.
De verdade sinto que perdi todas as minhas forças. Que não sei como mais me portar, me controlar e acima de tudo, me relacionar com tudo o que está invadindo minha vida.E são nessas horas que vejo o quão insegura sou, o quanto preciso me sentir viva, nem que para isso tenha que enfrentar perigos. Que no fim- pra mim- nem parecem tão perigosos assim.
O problema? Ah, o problema inicial é a falta de confiança em tudo que ronda minha vida. As pessoas mentem, assim como os cães latem e os passarinhos cantam. As pessoas machucam umas as outras, assim como o sol esquenta e o vento refrigera.  Isso meus amigos são fatos. E isso, isso não tem como mudar.
A vida não é nada além disso. Você respira, você dorme, você come.. ou não. Você arruma um emprego, gasta dinheiro. Descobre que gastar é muito bom, que comprar é legal e que ter e conquistar coisas é muito gratificante. E ai? Bom, ai você trabalha e trabalha para ter mais, para poder comprar mais. E tudo se limita a isso. Ter para ser. As pessoas não gostam mais de sentir. E quando sentem, sentem apenas dor. A verdade é que todo mundo vive assim. O dinheiro é necessário. Mas olhem pelo meu ponto de vista, se olharmos pelo ponto de vista racional, que merda de vida é essa? Qual é o propósito disso tudo?
Sei que este texto  pode parecer depressivo e recheado de raiva, mas não consigo entender...
Ninguém tem tempo. Ninguém se importa em viver. Em realmente preservar o que importa. E o que importa? As vezes nem isso se sabe.
Estou mal. E quem sou eu para falar alguma coisa? Há quem diga que estou me matando aos poucos... Mas de uma coisa hoje eu sei. E só por hoje, por agora gostaria de fazer: Me sentar na areia da praia.  Olhar para o horizonte e tentar não pensar em nada. Nada além do som do mar. Como seria perfeito, como seria bom me sentar naquela areia e me sentir infinita.

13 março 2014

?

Quando o eu não aumenta
E no frio grita.sussurra.assombra
Quando nada impede
O riso. O choro. O grito
E nada mesmo me envolve
Me toca. Me priva
E não tendo norte como seguir?Viver?
E não tendo sorte, como respirar? Crescer?

12 março 2014

A chuva sempre me faz refletir.

Bom dia,


Um metro e sessenta e quatro. Com recheio de 47 quilos. Com cabelos castanhos escuro que chegam abaixo dos ombros.  E que por sinal estão caindo...

São medidas e mais medidas. Balanças e mais balanças. Alargadores 10mm nas orelhas. Uma capa estranha que não se aceita pelo simples fato de não entender o que enxerga ou por tentar não enxergar.

Só querendo a verdade e buscando de todas as formas possíveis encontrar um equilíbrio. Começando a achar que equilíbrio pode ser algo ilusório.  Afinal, tudo é psicológico. E de verdade? Psicológico não tem nada de lógico. Nada mesmo!

10 março 2014

Resumindo



Ontem fiquei tão pensativa sobre como estou vivendo minha vida. Estou louca, estou completamente fora de mim. Penso 24 horas por dia em comida. E não no sentido bom disso. Penso em como a vejo com maus olhos, em como temo a hora das refeições.
Está cada dia mais complicado manter meus pensamentos sobre o que é certo ou errado. Sobre minha saúde e bem estar e o que minha cabeça dita pra mim.  O fato importante é que não é o fato de ser magra, não é o querer mudar. Porque lá no fundo eu quero ficar bem. O que me trava são os números. E nem me pergunte quando eles começaram a ter tanta importância...

Estou chegando a um nível que nem eu mesma havia imaginado. Não confio mais nas balanças, não confio mais em nada. O espelho mente pra mim, ele também não é confiável. Minha relação com o espelho é como se ele fosse um namorado traidor mas que eu ainda amasse demais. Ele mente, ele me deixa mal... Mas eu ainda olho pra ele e tento acreditar que pode ser verdade o que ele me passa, me diz. Estranho não?
Uma hora eu sou bonita, uma hora sou feia. Uma magra, outra enorme. Me leva ao céu e depois... Depois ao inferno.Inferno!


Não desejo o que estou vivendo pra ninguém. Espero que Deus me perdoe, espero que minha família me perdoe. Que todos que dizem me amar e se importar também. Me sinto tão ridiculamente burra. Porque o por que disso tudo é conseguir ter controle.. E sabe o que é irônico? Estou completamente fora de controle, fora de mim... Perdida em mim.

24 fevereiro 2014

É o que tenho para contar

Em meio a tanta dor e raiva presentes. Encontro-me no centro. No meio de um furacão.

Quando as pessoas olham pra mim de relance, não fazem ideia de como é ser e ter o que eu tenho. Graças a imperatividade alguns me julgam alegre, agitada.. sei lá, talvez feliz.  Graças ao DDA outros me acham meio lenta para processar as coisas. E ai a lista vai aumentando gradativamente... Ser bipolar é um caso sério.  Uma hora feliz, outra depressiva, outra uma mistura estranha das duas. Cada dia uma surpresa. Cada hora uma maneira diferente de reagir

17 fevereiro 2014

Venho por meio desta me confessar

Bom dia meus amigos. Sendo imaginários ou não. Sendo humanos ou não. Enfim, sendo o que são e ponto.

Sabe quando você se olha no espelho e não vê nada além de gordura? E ela é cruel, não se contenta em ficar localizada em um só lugar. Ela quer mais né? Ela quer habitar aonde puder. Se a resposta for sim, tipo, eu sei do que você está falando Karenn. Então parabéns ( ou não), você está no mesmo barco furado que eu. E sim, a frase anterior foi regada com sarcasmo, humor negro e raiva.

Engordei meio quilo e estou louca da minha vida com isso. Já me sinto perdendo o controle. Já me sinto gorda, imensa  e enjoada. Essa semana tenho uma meta de não comer carboidratos e nem proteína. Sim, vou ficar nas saladas e frutas.

Quando se começa a restringir o que comer é complicado, por que você ainda sente gosto. Você sente o cheiro de comida e ainda tem lembranças felizes... Mas depois tudo o que aquele cheiro te proporciona é pavor. E o seu paladar? Ah, ele não existe mais. Então não tem essa de sentir falta de comer tal coisa. Não se sente nada além de dor quando te obrigam a comer algo que antes você comia numa boa.
Pizza. Eita felicidade que sentia quando uma bem grande chegava em minha casa. Chocolate então... Nossa, uma explosão de loucura e sabor descendo direto pela minha garganta. Coca-Cola era água. Mas isso foi antes. Hoje comer essas coisas não é mais aceitável.
Quando como chocolate a única coisa que vem na minha cabeça é: Quantos minutos de exercício terei que fazer para queimar essas calorias terríveis?

É uma droga. E de verdade, nada é pior do que você saber que no fim mesmo que emagreça mais um pouco, não será o suficiente. Porque no fundo o suficiente não existe.

20 janeiro 2014

Cansada

Dor nos ossos. Dor de cabeça. Choro constante e fortes dores no peito. Tenho que dizer, hoje ao analisar quantos quilos eu perdi vi que para muitas pessoas são bastante. Ao todo? 15 quilos de pura gordura eliminados. A gora não me pergunte como consegui isso em pouco tempo. Minha neura com perder peso já fez um ano e meio, mas minha fissura dura uns quatro meses. Para mim 15 quilos é pouco demais.

Estou com 46 quilos agora. Tem dias que me peso e dá menos que isso, o que me dá certa alegria. Pra mim? Quanto menos melhor. 

Me sinto mal pelas pessoas que ficam preocupadas com minha saúde. Tenho 1.64 cm e para alguns estou beeeemmm magra. Mas eu não vejo isso.
 Tem sido mais difícil com minha mãe de férias. Ela fica em cima demais. Se não fosse minha família tentando me controlar eu estaria menos gorda.

Bom, tenho que dizer que ver meus ossos no espelho é lindo pra mim. As vezes fico louca me olhando no espelho... Porque do nada acho que eles estão menos aparentes. Ou em algumas roupas vejo minhas pernas enormes e meus braços sei lá... meus braços e pernas sempre foram um problema.
 O que eu tenho vontade de comer? NADA
Meu Deus tem sido sacrificante demais engolir, mastigar a comida.  Fica sempre aquelas frases se repetindo na minha cabeça... O que você está fazendo??? Pára de mastigar.Pára de encher esse seu estomago nojento.

 E ai existe um ritual. Comer o mínimo possível e depois.. Depois tomo um sal de fruta. Na minha cabeça ele vai fazer meu estomago trabalhar mais rápido. Ah pode ser loucura da minha cabeça, mas penso isso ué.

 A pior parte? Meus cabelos. Como caem... Caem tanto que tenho que prender para dormir. é uma merda. Incomoda demaaaaiiis... pentear tem sido horrível. Eles caem e caem...

tenho me pesado menos. Tipo umas 5 vezes por dia. E tenho tentado não contar as calorias. Mas sempre conto alguma coisa por cima né...

Estou irritada demais com tudo isso. Com o fato de não saber se tenho controle ou não controle sobre mim. Não sei mais identificar. Só penso nisso, vivo isso e isso? isso é um inferno. 

16 janeiro 2014

Imagine

Gostava de confeitaria. De assistir seriados de culinária. Uma cor para ele? Azul.


A primeira vez.O chinelo e jeans. Bonés... pelo menos uns três.Todos pendurados em seu quarto, ou em algumas ocasiões simplesmente jogados no pufe atrás( ou a frente) de sua cama de viúvo.
Era um sonhador. Era o amor em forma de gente. Era dedicado em ser ele mesmo não importava com quem ou onde. Não era como o resto de nós que se camufla para sobreviver em ambientes diferentes.

Era um menino, um homem quando preciso. E nada além de seus sentimentos o fazia mal. Ele era a noite a perfeição. E não escrevia, por mais que lhe pedissem. Mas as palavras em sua boca podiam levar ao paraíso e a ruína. Sua fascinação por listerine intrigava alguns e ah... pirulitos de morango.

Conseguia enxergar beleza no escuro.Alguns achavam que ele era um mágico, com poções poderosas capazes de encher um coração de amor e sentimentos felizes. Diziam que estar com ele era como sair de órbita. Como sair desse mundo ruim.

Uma frase? Esse mundo não presta. As pessoas são nojentas e más.

De fato tinha razão. O mundo é isso.

Ele era tudo. Era capaz de elevar a alma, de fazer você transbordar num misto de loucura, amor e medo.

14 janeiro 2014

Depois de muito tempo

Oi. A palavra certa não existe mais. Estou cansada. Cansada de mim, de ser eu. Muita coisa anda acontecendo... Muita coisa ruim  e eu uso esse blog como um refúgio da porcaria que envolve meus dias.
Me sinto sozinha, não melhorei em nada e de verdade? Não quero melhorar.

Estou cansada das pessoas falarem que preciso engordar. Cansada de ser obrigada a comer. Cansada das merdas que eu faço e falo. Como me sinto agora? Um misto de solidão e raiva. E as vezes momentos felizes e de novo a merda toda no ventilador.

Não engordei, meu braço não parou de formigar, não quero ficar gorda. Tenho comido na frente das pessoas pra ver se param de encher o saco.Não quero ir em droga de médico nenhum.

Estou cansada de ser ameaçada. Nada como o: ''Ou você come ou vou te internar'' pra acabar com meu dia.

Sinto saudade de partes antigas minhas e as vezes me olho no espelho e não reconheço quem é aquilo.

Acredite, gostaria de saber quantas karenn's existem também. Não confio em mim. Tenho medo, sinto medo o tempo todo. Talvez um dia eu consiga entender tudo isso. E se não entender o azar é meu não é mesmo?

Não sei que vontade é essa que eu tenho de fazer merda. Não sei mesmo.

Só sei de uma coisa: Eu me odeio. Odeio mesmo. Todas as partes... Minha voz, meu sorriso alheio, frio e calculado para certas pessoas e ocasiões. Odeio meu corpo, meu jeito de falar, odeio tudo. Minha cor, minha pele e o fato de ser bipolar. Odeio. E me pergunto se um dia isso vai mudar. Acho que não.

Conheci pessoas que nunca precisei mentir, fingir, omitir nada. Sinto falta de conseguir ser o que era antes. Comecei a odiar músicas também...

Hoje o ódio está em alta. Desculpa.

p.s. Eu não danço mais.